segunda-feira, 25 de setembro de 2017

OS DIAS




Você por aqui?
Não,
Eu não sinto que tenho vivido
O mundo é vasto e
Não vai dar tempo
Eu não me dou tempo
As pessoas correm
E eu só sei fugir
E o que você diria
Se eu me jogasse
De repente
Do alto do meu ser?
Pode ir embora agora,
A pressa é um desses livros
De mil páginas
E eu estive nas gostas
De quando choviam
os seus olhos
Eu me perco
Para que talvez um dia
Possamos parar de correr
Me corrói essa necessidade
De ter que chegar
Sem ter onde chegar
Eu só quero não precisar
Olhar para o relógio
Enquanto meu cobertor me prender
E as ondas desse colchão emanam
A calmaria.
Eu posso sentir
Que ao entrar pela porta
Meu vazio tem pernas curtas
Quando eu olho para o lado
Vejo nada
Nada
Pra gente poder sair
Dessa tempestad
Eu quero um dia
Te ver
Resisto
Para que você me veja
Já que ninguém pode enxergar
O frio que passa
Pela abertura
Pela fresta
Pelos arranhões
Que irão
Da minha nuca
Até o meu
FIM.




Nenhum comentário:

Postar um comentário